30/07/2008

Exílio III

Entre a cidade e o campo a umas poucas dezenas de quilómetros encontrei o exílio. Entre colcheias, semi-colcheias e silêncios plantámos os pés feitos raízes na terra, olhando o céu estrelado.
Muito obrigado a todos e a lá voltaremos

20/07/2008

Exílio II

Assisti ontem à noite ao concerto que sempre pensei impossível: Leonard Cohen.

17/07/2008

Exílio I

Quero pensar o Portugal exílio e não o exílio em mim. Quero pensar o Portugal supra Nação, acima dos compadrios que nos unem para separar os que restam. Quero viver comunitariamente num paradigma de justiça acima da lei, que una os homens na moral. Quero o Portugal Estado-Comunidade. Um Portugal acima dos esquemas e das engenharias que nos dividem entre esquerda e direita. Um Portugal para além das torres de marfim dos economistas e dos sebentaristas.
Quero o Portugal sem a tal intelligentzia de bolso que nos vende por alguns tostões a estrangeirismos. Quero o Portugal rural e não o serôdio. Quero o Portugal citadino mas não urbanóide. O Portugal político para além da tese e da antitese, da esquerda e da direita ou do centrão alimentado pela grande porca.
Quero Portugal como sonhámos.